Blog

por:

lbrito

lbrito

[vc_row][vc_column][vc_column_text]Mais de 30 anos se passaram desde a publicação de um livro que foi um dos principais divisores de águas da história da gestão: “Vencendo a crise”, em seu título em português, que não reflete exatamente o conceito mais importante sobre o qual seu autor, Tom Peters, vem se debruçando há tantos anos: o da excelência.

Segundo ele explica em seu site, antes do livro as palavras “empresa” e “excelência” não costumavam aparecer na mesma frase. Desde então, esta é uma máxima que vem sendo perseguida por gestores de todos os tipos e tamanhos de companhias.

Sempre atualizado – e sempre atualizando seus estudos – Peters costuma rever periodicamente seus conceitos. E recentemente publicou uma atualização dos princípios da excelência desenvolvidos em seu livro – que de oito passaram a dez. Do total de itens iniciais, três se mantiveram iguais: foco na autonomia e no empreendedorismo, produtividade orientada ao valor e a capacidade de a empresa se manter compacta, para garantir a maior mobilidade possível sempre.

Outros conceitos foram revistos e atualizados. Se antes Peters falava em “tender à ação”, hoje ele é mais enfático: é preciso encarar a execução com toda a seriedade, como pilar número 1 da gestão.

“Pessoas em primeiro lugar” continua sendo um dos itens mais caros ao guru, mas hoje ele acrescenta a esse item o que define como “mania de desenvolvimento”, enfatizando a importância do aprendizado e do treinamento constantes.

Se antes ele falava em manter a proximidade com o cliente, hoje o termo passa a ser simbiose. A relação se torna íntima, explica Peters, exigindo um conhecimento profundo por parte de quem oferece produtos a esse cliente.

Manter a simplicidade com uma equipe enxuta também era um princípio fundamental, que se mantém com uma ressalva: agora existe o imperativo da colaboração, ou seja, Peters reconhece a necessidade de uma forma mais horizontal de trabalhar.

Um item foi totalmente alterado: antes, Peters falava em manter o foco e ater-se às competências fundamentais desenvolvidas pela empresa. Hoje, ele traz o pensamento de design para o primeiro plano, observando a necessidade de se trabalhar com esse novo modelo mental.

Outros dois itens foram incluídos em sua lista: o fanatismo pela tecnologia e antifragilidade/velocidade demoníaca. Nesses dois últimos conceitos, Peters demonstra que se mantêm atualizado com o que há de mais recente em termos de pensamento de gestão. A questão tecnológica dispensa maiores explicações, mas no décimo item de sua nova lista ele mistura o conceito de antifragilidade desenvolvido por Nassim Taleb, que explica como certas instituições se beneficiam do caos, com a necessidade de acompanhar a velocidade vertiginosa com que tudo se movimenta hoje em dia.

Todas essas novidades ajudam o gestor atual a compreender melhor o ambiente em que vivemos e a melhor perseguir a excelência. Mas demonstram, acima de tudo, que o aprendizado constante e a humildade de se reinventar a cada instante são as principais lições que um bom gestor pode aprender com Tom Peters.

Nota do editor: Autor de alguns dos maiores best-sellers da história da gestão, como Vencendo a crise, Prosperando no caos, O círculo da inovação, Re-imagine!, entre outros, com mais de 6 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo, Tom Peters estará no Brasil em novembro, participando da HSM ExpoManagement 2016, que acontece dos dias 7 a 9.[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

Receba mais conteúdo sobre o assunto do artigo!

Compartilhe

Mais Postagens