Blog

3 erros que fazem você subutilizar todo o potencial do LinkedIn

por:

lbrito

lbrito

[vc_row][vc_column][vc_column_text]

Não importa o cargo: do assistente ao diretor, minha busca por novos talentos sempre começa pelo LinkedIn. Acesso várias vezes ao dia, tanto pelo computador quanto pelo aplicativo, e percebo que a maior parte das pessoas que “erra” ao utilizar a ferramenta o faz por dois motivos:

1. ou porque utiliza de maneira inapropriada;

2. ou porque subestima o potencial da plataforma.

Deixarei de fora dessa discussão o item 1, até porque vejo esse tema sendo debatido diariamente em posts do LinkedIn. Listas do que se deve ou não fazer nessa rede social corporativa são amplamente divulgadas e fica difícil cravar um manual definitivo de utilização.

Já sobre o potencial da ferramenta e como aproveitá-la da melhor forma, tenho aqui três lembretes para você que deseja construir uma marca profissional forte:

#1: LinkedIn não é um CV digital


Você sabia que um recrutador leva, em média, 6 segundos para considerar ou descartar um currículo? Isso porque, com tanto tempo de treino, nós batemos o olho em algumas informações e rapidamente já identificamos se a pessoa tem ou não o perfil da nossa vaga. Pois bem, se eu entrar no seu perfil e ele for a reprodução do seu CV, saiba que a tendência é que eu passe pouco tempo tentando o conhecer melhor. Agora, se você é ativo na rede, comenta, curte, compartilha conteúdo, eu certamente vou investigar um pouquinho melhor sua trajetória profissional.

Diferente de um CV, o LinkedIn nos permite contar boas histórias de um modo muito atual: com hiperlinks, conexões, conteúdos e interações. Utilize os recursos a seu favor para ganhar destaque em um mar de 35 milhões de brasileiros que hoje estão na rede.

#2: LinkedIn não é Facebook


A dica número 1, levada ao extremo, pode fazer os profissionais cair em uma armadilha: compartilhar em seu perfil conteúdos que não agregam ou não estão alinhados com sua imagem profissional. No Facebook compartilhamos de tudo, mas o LinkedIn merece atenção diferenciada na gestão de conteúdo. Você deve ser o curador de sua página, selecionando temas com mais atenção e cuidado. Quer um exemplo? Outro dia uma pessoa em minha rede publicou uma notícia sobre o setor em que ela trabalha e, por achar o tema interessante, cliquei. Quando li a matéria, notei que a fonte usada pelo autor do texto era uma pesquisa realizada pelo concorrente direto dessa pessoa. Como temos proximidade, mandei uma mensagem para entender se fora proposital ou não. Para minha surpresa, a resposta foi algo assim: “Nossa, jura? Não vi. Achei o título legal e compartilhei”. Em seguida, ela deletou o post.

Portanto, esteja atento e não compartilhe coisas sem ler ou que não estejam alinhadas com suas crenças. Se um recrutador entra no seu perfil, ele pode tirar conclusões erradas sobre seus gostos e seu estilo profissional!

#3: LinkedIn não é Instagram


No LinkedIn, seus likes valem ouro. Eu, por exemplo, não saio por aí curtindo absolutamente tudo, sem critério ou sem ler. Até porque, quando nós recrutadores entramos em seu perfil, esteja certo de que vamos dar uma olhada em suas atividades na rede. Se estou procurando alguém com brilho nos olhos, solucionador de problemas, cheio de energia positiva, e acesso um perfil em que 9 das 10 últimas curtidas foram em posts de pessoas reclamando/criticando, a chance de eu passar para o próximo perfil é muito alta.

Parece que já consigo ouvir as vozes dizendo: “Aaaah, mas vocês recrutadores são injustos, não podem sair por aí rotulando as pessoas, achando isso ou aquilo”. E sabe que concordo com isso? Não deveríamos mesmo! Até porque amo conhecer pessoas, perguntar sobre suas histórias e observar suas nuances. Todo mundo tem defeitos e qualidades, e tudo é uma questão de perspectiva!

MAAAAAS tempo é um recurso escasso para todo mundo, não é mesmo? Então, se você quiser atrair os olhares dos recrutadores ou deseja fortalecer sua marca profissional, peço sua ajuda para me fazer querer conhecer você melhor. Invista no seu perfil, insira hiperlinks em suas experiências, compartilhe conteúdos interessantes, curta coisas em que você acredita fortemente. Assim, além de aproveitar todo o potencial dessa ferramenta, você estará em linha com o que há de mais atual no mundo do recrutamento e seleção.

Gabrielle Teco, Head de Vendas, Marketing e RH na Gesto Saúde e Tecnologia 

Jornalista de formação e curiosa por convicção, escrevo e palestro sobre coisas que me interessam. Técnica em nutrição, pós graduada em marketing, trabalhei por quase 10 anos em startup, passei pelas melhores universidades do país e já vivi uma experiência incrível em Stanford. Este ano assumi novos desafios na Gesto, uma scale-up com o selo Endeavor, e estou amando trabalhar por um propósito incrível: trazer sustentabilidade para o setor privado de saúde no Brasil!

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

Receba mais conteúdo sobre o assunto do artigo!

Compartilhe

Mais Postagens